Child Of Desolation

[ MUSIC AND LYRICS BY DAVID DEFEIS ]

[KASSANDRA:]
Children forlorn, victims of the Daimon within
Oaths made in Violence, punishment in turn
There is no Light to guide me on my long and painful Road
I wait in Silence, I wait for Death with the last of this Day’s Sun…

Broken Wings, Blood freed upon the air
A Trampled Marriage Bed
The Father sees, his Gods cry out, the Flesh spills down
And Judgement Kills the Crime

Gods of the Dead bring me my Life back again
I’m fallin’, I’m callin’
Gods of the Dead don’t let me die unavenged
I’m fallin’, I’m callin’
I won’t be here to see them Mourning… Enter the Night…

Emblems of Prophecy, I throw them all away
Drink the Fire of the Pitiless God…
When the Blood of Death has fallen, who can call it back
To the Form that it once held

Gods of the Dead bring me my Life back again
I’m fallin’, I’m callin’
Gods of the Dead don’t let me die unavenged
I’m fallin’, I’m callin’
And the Dead will taste a deeper Treasure than Youth or Life

Bury me beside the Endless Sea, raise my Ashes to the Wind
Remember me when Falls another Life, Quench my Funeral Pyre with Wine …

——————————————–

child of desolation ( criança da desolação )

As crianças abandonadas, vítimas do Daimon.
Juramentos feitos na Violência, castigo em troco.
Não há nenhuma Luz para guiar-me em minha Estrada dolorosa e longa
Eu espero em Silêncio, eu espero pela Morte com o último Sol deste Dia…

Asas quebradas, Sangue libertado no ar.
Uma cama de casamento espezinhada
O Pai vê, seus Deuses choram, A carne se espalha aqui em baixo.
E o Juízo Mata o Crime

Os deuses dos Mortos me tragam de volta a vida outra vez
Eu estou caindo, estou implorando.
Deuses do Morto não me deixem morrer sem vingança
Eu estou caindo, estou implorando.
Eu não estarei aqui para vê-los Lamentando… Entre a Noite…

Os emblemas de Profecia, eu jogo-os todos longe.
Bebo o Fogo do Deus Impiedoso…
Quando o Sangue de Morte cai, quem pode ligá-lo de novo à Forma,
Que ele uma vez segurou

Os deuses dos Mortos me tragam de volta a vida outra vez
Eu estou caindo, estou implorando.
Deuses dos Mortos não me
Deixem morrer sem vingança
Eu estou caindo, estou implorando.
E o Morto provará um Tesouro mais profundo que a Juventude ou a Vida

Enterre-me ao lado do Mar Interminável, jogue minhas Cinzas ao Vento.
Lembre-se de mim quando chegar à outra Vida.
Sacie Minha Pira funerária com Vinho…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: